O que é a Indústria 4.0 e como ela está mudando o mundo

5:40 PM

Conheça mais sobre a Quarta Revolução Industrial e as oportunidades que ela proporciona para o mercado


Há pouco mais de dois séculos, iniciava-se a Primeira Revolução Industrial. Conhecida pela inovação em maquinários e produtos de manufatura, essa etapa foi o primeiro passo para o que hoje conhecemos como tecnologia. As grandes e barulhentas máquinas a vapor deram lugar a smartphones e computadores que participam - e até realizam – dos processos de produção nos dias atuais. Desde fechaduras conectadas a redes Wireless a robôs compostos por mecanismos de inteligência artificial.
Depois das revoluções que inovaram na descoberta da energia elétrica e na automação da produção industrial, a Indústria 4.0 abre portas e novas possibilidades para soluções dentro do mercado da tecnologia. Essa nova revolução é autônoma e possibilita que a própria indústria se comunique e esteja sempre conectada, seja para melhorar a performance dos processos, ou até mesmo, excluí-los ou adaptá-los para oferecer soluções mais eficazes. Neste mercado, as coisas, os objetos, as pessoas e os processos são capazes de se comunicar entre si – e todos fazem isto de maneira autônoma.
As tendências não negam: o futuro é a internet. E se tudo gira em torno dela, os ambientes, objetos físicos, veículos e máquinas também devem funcionar por meio dessa tecnologia.
A Internet das Coisas (IoT), uma das bases da Indústria 4.0, é um exemplo disto. Se a internet já é o meio mais utilizado para se comunicar, informar e consumir, por que não fazer isso de forma prática e unificar os processos para trazer facilidade a vida das pessoas? As tendências não negam: o futuro é a internet. E se tudo gira em torno dela, os ambientes, objetos físicos, veículos e máquinas também devem funcionar por meio dessa tecnologia.
A Quarta Revolução Industrial é um conjunto que integra todas as cadeias de valor. Desde a pré-produção, até o usuário final, possibilitando uma maior mobilidade do mercado e trazendo soluções que realmente pensem no cliente. Mas como isso se aplica aos distribuidores e as empresas que oferecem essas soluções?
Os pilares da Indústria 4.0 e como eles se aplicam em cada ramo:
Internet das coisas (Internet of Things – IoT): Consiste na conexão em rede de objetos físicos, ambientes, veículos e máquinas por meio de dispositivos eletrônicos embarcados que permitem a coleta e troca de dados. Sistemas que funcionam a base da Internet das Coisas e são dotados de sensores e atuadores são denominados de sistemas Cyber-físicos, e são a base da indústria 4.0.
Big Data Analytics: São estruturas de dados muito extensas e complexas que utilizam novas abordagens para a captura, análise e gerenciamento de informações. Aplicada à indústria 4.0, a tecnologia de Big Data consiste em 6Cs para lidar com informações relevantes: Conexão (à rede industrial, sensores e CLPs), Cloud (nuvem/dados por demanda), Cyber (modelo e memória), Conteúdo, Comunidade (compartilhamento das informações) e Customização (personalização e valores).
Segurança: Um dos principais desafios para o sucesso da quarta revolução industrial está na segurança e robustez dos sistemas de informação. Problemas como falhas de transmissão na comunicação máquina-máquina, ou até mesmo eventuais “engasgos” do sistema podem causar transtornos na produção. Com toda essa conectividade, também serão necessários sistemas que protejam o know-how da companhia, contido nos arquivos de controle dos processos.
Crise: ameaça ou oportunidade?
De acordo com uma publicação da Folha de São Paulo na última segunda-feira (13), a atual crise econômica é uma preocupação dos especialistas para o avanço da Indústria 4.0 no país. É muito importante que a oferta de uma internet de qualidade seja fornecida a preços acessíveis para estimular a integração do consumidor neste novo processo.
A nova Revolução Industrial não vem apenas para otimizar as relações na produção, mas, também, para aumentar o valor agregado do produto e possibilitar o poder de compra do usuário final, que, acima de tudo, precisa ser beneficiado de alguma forma pelas soluções oferecidas. Para isso, as empresas devem estar aliadas as tendências do mercado, nas inovações do mundo da tecnologia e, principalmente, pensar em como essas soluções podem impactar a vida das pessoas, o funcionamento de negócios e de outras empresas.

Share this

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »